Follow Us

Vai haver festa!

Vai haver festa!

À conversa com Kika Duarte, decoradora e organizadora de festas infantis.

A festa dos miúdos é o lugar ideal para criar recordações que vivem para sempre. Kika Duarte dedica-se a criar festas memoráveis, onde os pormenores de cada família estão sempre lado a lado com os temas favoritos do momento. É uma das referências do mercado brasileiro de festas infantis e está agora em Portugal.

“Preocupo-me muito com a história da família. Por mais que eles tenham um personagem pronto para uma festa, sejam as LOL, o Mickey, ou qualquer outro, eu procuro entender o porquê daquele tema. Se tem a ver com uma viagem, com aromas, com memórias, com determinados momentos do dia… Ser o Mickey pelo Mickey é muito impessoal, então eu gosto de transformar o dia-a-dia da família em festa.”

Da cozinha à gerência

Kika Duarte começou por trabalhar em marketing cultural na organização de eventos corporativos. Com o know-how em gestão de festas,optou depois por se vocacionar para o mercado infantil, e foi como freelancer que iniciou a sua carreira numa Casas de Festas de São Paulo, no Brasil. “As Casas de Festas são espaços onde toda a festa acontece, são mini parques de diversões porque no Brasil é habitual ter mais de 100 convidados em qualquer festa de crianças. Os pais dos colegas da escola fazem sempre parte da festa. Na Casa de Festas comecei por fazer um pouco de tudo: trabalhei na cozinha, no atendimento ao cliente, na animação,… Rapidamente me tornei gerente do espaço”. Em 2001 abriu a Auguri Festas, a sua própria empresa de organização de festas. Encontrar a própria identidade não foi imediato.

“Inicialmente só fazia organização de festas, não era decoradora. Depois de 3 anos senti necessidade de ter mais identidade no meu trabalho e não fazer tudo igual. Percebi que as pessoas faziam a festa na sua casa e a decoração que eu alugava era um kit pronto. Fiz um acordo com a decoradora que passou a fornecer só as peças e eu montava na própria mesa das clientes. Depois de um tempo passei a fazer a decoração sozinha.”

A Pizzaria da Masha e do Urso

Kika posicionou-se rapidamente no mercado de São Paulo, destacando-se pelo design e pelas histórias que as suas festas contam.

“Numa das festas que fiz o tema seriam as viagens porque a família gostava de viajar. Para a tornar memorável decidimos que tudo seria à volta dos destinos que aquela família iria visitar nos próximos 16 anos. Então aquela festa perdura e acompanha a família no tempo.” 

Transformar os temas mais comerciais numa história da família é também um dos desafios. “Numa outra festa o tema era a «Masha e o Urso»; ao falar com a família percebi que eles tinham como tradição de todos os domingos fazerem pizzas em casa, no forno deles, e que gostavam muito. Então transformei a festa na Pizzaria da Masha e do Urso. Todos os sabores de pizza e ingredientes tinham a ver com o que eles costumavam fazer e teve um toque pessoal que toda a gente adorou e que ficou na memória.”

“Inspiro-me em tudo, menos em festas”

O vínculo afetivo é uma das essências das festas que Kika cria. Envolver os pais na construção da festa é um dos segredos.

“A ideia do envolvimento não é pôr a mão na massa mas ajudar a criar a sua história para eu tornar a festa única e exclusiva. Quando a criança já é maior ela participa ou se for mais pequena dou aos pais a tarefa. Assim, por mais que eu faça 10 festas do tema viagens nenhuma vai ser igual porque tem o toque pessoal de cada família.”

Em todo o processo de criação os pais participam. Apesar dos elementos surpresa, os pais estão sempre a par de todo o processo. “Nós mostramos o moodboard, qual a ideia, a inspiração, como vamos chegar no resultado final. É trabalhoso mas delicioso!”

As inspirações chegam de todos os lados, menos do óbvio. “Eu procuro inspirar-me em tudo, menos em festas! Vou a galerias de arte, sei o que está nas maiores feiras de design do mundo… E não é preciso ir a todos os lugares. Hoje em dia basta, por exemplo, seguir os melhores arquitetos para estar a par do que existe de mais vanguardista nessa área.”

Uma festa é um momento que deve ficar para sempre e para isso “tem de ser mais do que mesas bonitas. Quando a criança crescer ela vai lembrar, a família também, e vai ver a ligação da festa consigo própria, com o seu dia-a-dia”.

Foto capa: Laura Oliveira Fotografia

Pikme

Posts Relacionados
Sem comentários

Faça um comentário